Aula Magna discute caminhos para uma educação antirracista

Spread the love

Na manhã da terça-feira (23), a diretoria do SINTEST esteve presente na Aula Magna da UEFS do semestre 2023.2, que teve como tema “Reflexões sobre a construção de uma educação antirracista”. A palestra foi proferida pela a Profa. Dra. Letícia Carolina Nascimento, docente e pesquisadora da Universidade Federal do Piauí. É ativista social atuando junto a coordenação executiva nacional do Fórum Nacional de Travestis e Transexuais Negras e Negros (FONATRANS). Pesquisadora filiada ao Núcleo de Estudos e Pesquisa em Educação Gênero e Cidadania (NEPEGECI/UFPI); a Rede Interdisciplinar de Mulheres Acadêmicas do Semiárido (RIMAS/UFRPE); e a Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN).

A Aula Magna ocorreu no Auditório Central da universidade, e foi aberta para toda comunidade.

A reitora da Uefs, Amali Mussi deu boas vindas à comunidade acadêmica, declarando a abertura oficial do semestre e aproveitou a programação para ressaltar dados relevantes sobre a instituição, com o intuito de contextualizar o ingresso de novos estudantes na Universidade. “Ao nos prestigiar neste momento, vocês expressam o reconhecimento da importância que a Uefs tem. Hoje temos mais de 11 mil estudantes ativos, de graduação e pós-graduação, alcançamos com nossas atividades de ensino, pesquisa e extensão, 150 municípios. Isso mostra que a Uefs, após a pandemia, retomou a sua pujança. É importante que vocês, ingressantes, tenham conhecimento sobre a universidade de excelência que vocês escolheram”.

Representando o Sintest-BA na mesa, em sua fala Daiana Alcântara destacou: “Nesta manhã, nesta aula magna, o Sintest afirma para as pessoas que compõem esta universidade e as que chegam neste semestre, que aqui também é o espaço de ampliar nossas vozes insurgentes, de fortalecer a defesa da integridade dos nossos corpos e dos nossos projetos de vida, de construir nossas histórias e proclamar firmemente “ nada sobre nós, sem nós”. A história pode ser vista e contada pelos considerados de baixo! Vamos juntos, juntas e juntes, construindo nesta universidade uma educação de qualidade,  inclusiva, socialmente referenciada e também antirracista”.

Em sua explanação, a palestrante aponta direções para que as escolas incentivem o conhecimento à diversidade brasileira e potencializem práticas pedagógicas inclusivas e antirracistas através da reformulação curricular. “Não dá mais para estudar apenas autores europeus, chega dessa colonização curricular! Isso é sobre compreender que autores europeus dizem sobre sua sociedade, não dizem sobre todas as sociedades. Nós Precisamos africanizar e abrasileirar o nosso currículo, trazer referências indígenas, isso não pode estar como um apêndice da disciplina como infelizmente acontece. É importante discutir sobre o racismo, pois estamos em sociedade racializada. O que pedimos é o básico, a maior parte da nossa população é negra, sendo mais de 54% . É importante entendermos os efeitos que o racismo tem na nossa subjetividade”, disse.

Além da conferencista, compuseram a mesa do evento a reitora da Uefs,  Amali de Angelis Mussi, a vice-reitora, Evanilda Souza de Santana  Carvalho, Daiana Alcântara, diretora geral do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Terceiro Grau (Sintest), José Bites de Carvalho, coordenador-executivo de Programas e Projetos Estratégicos da Secretaria de Educação (SEC), a professora Ivy Guedes, representante do Coletivo dos docentes negros/negras e negres da UEFS, a professora Acácia Batista, representante da Associação dos Docentes (Adufs) e Eckxs Camões, representante do Diretório Central dos Estudantes (DCE).

O vídeo da cerimônia segue disponível no canal da TV Olhos D’água, no YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=fBX1tTnRlz4

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *