Governo da Bahia orienta população a utilizarem máscaras

Em entrevista coletiva com o interior do estado  sobre as ações contra o coronavírus na tarde do dia (2/04),  o governador Rui Costa e o secretário estadual da saúde, Fábio Vilas-Boas estimularam a população baiana, principalmente os moradores de cidades  com casos positivos do coronavírus, a buscarem produzir caseiramente suas máscaras de proteção diante da dificuldade brasileira de aquisição de insumos básicos de proteção.

A orientação corrobora com o posicionamento expresso na coletiva de imprensa ocorrida no dia 01/4,  do Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que destacou a escassez dos chamados Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), que incluem máscaras, luvas, álcool em gel, além da falta de sopradores mecânicos e com a nota técnica divulgada pelo presidente do Comitê Estadual de Emergências em Saúde Pública – COE, Antônio Carlos Albuquerque Bandeira.

O uso de máscaras de TNT pela população em geral para reduzir o contágio ganha forças entre países da Europa e nos Estados Unidos e cientes que em Feira de Santana e região já temos dificuldades de encontrar facilmente o produto, segue um vídeo da médica Ana Escobar orientando como fazer uma produção simples e eficiente. É importante destacar a necessidade de se manter em isolamento social, lavar sempre bem as mãos e higienizar bem os ambientes.

 

Cuidados

Com as mãos lavadas, é preciso colocar a máscara sobre o rosto de modo que cubra tanto o queixo, quanto o nariz.

A máscara não pode ficar frouxa no rosto. Para isso, o ideal, quando possível, é usar um acessório de metal na parte superior da máscara, de modo que ela fique próxima ao nariz e evite a entrada e a saída de ar.

Durante o uso, não se deve tocar na máscara, nem colocá-na na testa, como se fossem óculos de sol. Não a remova nem para falar.

Quando for retirar a máscara, não se deve encostar a mão no tecido, apenas nas alças laterais que ficam acopladas à orelha.

A higienização, antes e depois do uso, deve ser feita com água e sabão. O uso de água sanitária também é permitido.

Cada pessoa deve ter sua própria máscara e jamais compartilhá-la.

O equipamento deve ser trocado sempre que estiver úmido. No caso das cirúrgicas, a recomendação é de que o procedimento seja feito de duas em duas horas.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *