Sindicatos e centrais protestam contra reforma da previdência baiana

Na manhã desta terça-feira (07), os técnicos administrativos das universidades juntamente com vários servidores do funcionalismo público protestaram em frente à Assembleia Legislativa (AL-BA) com o objetivo de barrar a PEC  158/2019 que modifica as regras da previdência social dos servidores públicos  do Estado.

Como estava previsto desde de ontem, os representantes dos diversos sindicatos da Bahia e das centrais sindicais participaram durante o ato de uma reunião para dialogar com o líder do governo Rosenberg Pinto (PT) e bancada do partido. Estavam presente os deputados da base do governo, Marcelino Galo (PT), Jacó da Silva (PT), Robinson Almeida (PT) e Fabrício Falcão (PCdoB). Também estava presente no ato e na reunião o deputado estadual Hilton Coelho (PSOL) manifestando apoio ao pleito dos servidores e não ao governo.

Diante das manifestações, o líder do governo se comprometeu a dialogar sobre a proposta apresentada com a Secretaria de Relações Institucionais (Serin) e dar um retorno para as entidades na sexta-feira (10). Pinto garantiu ainda que vai encaminhar as sugestões apresentadas pelo PCdoB “assim que o relator for definido”, para que ele possa fazer uma análise em diálogo com o Executivo e propôs que os sindicalistas apresentassem suas considerações, o que foi rejeitado.

 “Infelizmente ficou claro no discurso dos parlamentares que o interesse do governador Rui Costa em fazer a votação da PEC 158 de forma tão aligeirada está muito mais atrelada às eleições municipais e nos pactos com os prefeitos e vereadores, do que com o cumprimento de exigências do governo federal. O impacto que a reforma causará na vida dos trabalhadores é grande, por essa razão insistimos no diálogo. Todas as entidades reafirmaram que irão continuar defendendo a retirada do projeto, esperamos que os deputados eleitos, sobretudo com voto dos trabalhadores, defendam os interesses da classe. Nesse sentido, queremos que a bancada do PT e os deputados que estavam presentes nesta manhã possam conversar com o governador Rui Costa para retirada da PEC 158/2019 e abrir um espaço onde as entidades possam de forma democrática apontar uma proposta de previdência sustentável, que não sobrecarregue os servidores”, disse Daiana Alcântara, Coordenadora Geral do Sintest-Ba/Uefs.

“Mais uma vez o governo Rui Costa apunhala os servidores públicos do estado. Se não bastasse seu governo ter se adiantado em medidas que mexeram na previdência há pouco tempo, agora ele dá mais um golpe com essa reforma nefasta. Só uma coisa pode parar as ações do governo e seus deputados aliados, a união das categorias e luta. Se não reagirmos agora essa reforma estadual será ainda pior que a recente aprovada no plano federal.
O cenário para os próximos anos não poderia ser mais ameaçador; reposição inflacionária zero, aumento das alíquotas de contribuição e extinção do planserv. União e luta, agora mais que nunca é uma questão de sobrevivência do funcionalismo público estadual, ainda mais para categorias fragilizadas como a nossa de servidores técnicos universitários da Bahia”, reforçou a servidora Gilma Costa Ferreira, presente na mobilização.

Confira as fotos


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *