Firmino Júlio, Nildon Pitombo e Daiana Alcântara

Sintest-Ba vai a Saeb discutir o cumprimento de pontos da pauta externa da categoria

Dando continuidade às iniciativas que buscam o atendimento às necessidades dos Servidores Técnico-Administrativos das Universidades Estaduais da Bahia, como respostas às questões de Promoção funcional de 2017, a coordenação do Sintest-Ba participou de uma reunião na tarde de terça-feira (16), na Secretaria da Administração do Estado da Bahia (SAEB).

Os coordenadores reuniram-se com o Superintendente de Recursos Humanos do estado, Sr. Adriano Tambone, que informou que, logo após o Carnaval, será autorizada a publicação da Instrução Normativa da Promoção funcional de 2017, e se comprometeu em agendar uma reunião com os sindicatos e representantes dos Rh’s das Universidades e da Saeb, conforme feito anteriormente, no processo da Promoção funcional de 2016.

Na oportunidade, foi averiguado junto a Antônio Domingos Félix, Coordenador da SGC PP/DRH – SAEB, que o pagamento da Promoção 2016 pode ser efetivado este mês, se os recursos humanos das Universidades lançarem na folha até o próximo dia 18. “A Saeb autorizou que as universidades façam o lançamento; se cumprirem o prazo da folha, os técnicos receberão o pagamento com a mudança de nível e o valor correspondente a retroatividade”, afirmou o Coordenador.

Retorno das solicitações da pauta externa

Aproveitando o encontro com o Subsecretário de Educação do Estado da Bahia, Nildon Pitombo, a coordenação aproveitou para solicitar que o mesmo fizesse uma interlocução de defesa e acompanhamento das necessidades dos técnico-administrativos das universidades junto à Saeb. O presidente do Fórum dos Técnicos, Firmino Júlio, afirmou, que “a categoria, desde 2015, tem sido duramente penalizada com o salário abaixo do mínimo, insalubridade cortada, auxílio-alimentação irrisório e plano de carreira defasado. Ressaltou também que, anunciar concurso somente para a Uefs e Uesc não atende este ponto da pauta, uma vez que o quadro de técnicos da Uneb encontra-se defasados ”.

A coordenadora da UEFS, Daiana Alcântara, destacou que, “apesar da necessidade de realização de concurso, é imprescindível que o Governo do Estado resolva a situação do salário-base abaixo do mínimo da categoria e questões relacionadas à carreira”.

Como resultado do encontro, obteve-se a promessa do subsecretário, de levar os pontos de reivindicações dos servidores técnicos das Universidades, a serem discutidos com o secretário de Administração do Estado, Edelvino Góes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *